segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Entre aspas

"Na troca de nossos nenhuns assuntos, Surendra se esquecia de atender os fregueses. Eu me confortava: nunca ninguém se havia esquecido de nada por causa de mim".

COUTO, Mia in Terra Sonâmbula

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Entre aspas

"O dinheiro reforçou ainda mais a impressão de que aquilo que me faltava ela possuía de sobre, e vice-versa, num jogo contínuo de trocas e reviravoltas que, ora com alegria, ora com sofrimento, nos tornavam indispensáveis uma à outra". 

Elena Ferrante in A amiga genial.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Entre aspas


"Não adianta sonhar com o que é feito apenas de fantasia e querer aspirar ao impossível. A felicidade é a aceitação do que se é e se pode ser"

Valter Hugo Mãe in O filho de mil homens. 

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Entre Aspas




"Tinha a impressão de ter atravessado uma janela alta que dava para um mundo desaparecido. Havia uma luz sobre esse mundo que não podia ser descrita na língua dele. Tudo o que via parecia harmonioso, mas as formas pareciam novas, como se tivessem sido concebidas e desenhadas no momento em que lhe tiraram a venda dos olhos, e ao mesmo tempo antigas, como se tivessem existido desde sempre [...] Naquela região, no inverno, ninguém podia sentir saudade do verão ou da primavera. Não se podia ver qualquer defeito ou doença ou deformidade em cada uma das coisas que cresciam sobre a terra. Não havia manchas na terra de Lórien".

TOLKIEN, J. R. R. in O senhor dos anéis - A sociedade do anel

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Projeto: Um filme por dia (parte III)

13- Harry Potter e o enigma do Príncipe

Comentário: Queria ler o último livro e estava com preguiça de reler o sexto rs. Então resolvi assistir outra vez o filme, o que foi bom, pois não lembrava de muita coisa da história. No mais é Harry Potter não tem muito o que falar, só sentir. 4 estrelas.

14- Mesmo se nada der certo – Begin Again

Comentário: Um filme desses bobinhos, mas que são gostosos de assistir. Um produtor musical Dan (Mark Rufallo) descobre em um bar uma nova cantora  Gretta (Keira Knightley) que acabara de migrar para os EUA junto com o namorado, também cantor. Após o termino do relacionamento, Gretta estava prestes a voltar para Inglaterra quando é descoberta por Dan. Decidem então gravar um disco independente, cada música é gravada em algum lugar da cidade ao ar livre. 5 estrelas.

15- American Sniper

Comentário: Uma história autobiográfica de Chris Keyle, um atirador de elite das forças especiais americanas que se destaca pelo número de “alvos” que consegue atingir na guerra contra o Iraque. O que mais me interessou no filme foi o lado pessoal/psicológico, quando é retratada a força que a guerra tem de dominar as mentes daqueles que nela se envolveram. 4 estrelas.

16- Noivo neurótico, noiva nervosa

Comentário: A história de um comediante judeu, vivido pelo próprio Woody Allen que é bem complicado e acaba terminando seus relacionamentos. Então o filme é meio esquisito rs. Mas é legalzinho. 4 estrelas.

17- Vai que dá certo II

Comentário: Filme assistido enquanto esperava meu agendamento no Detran rs. Para esse propósito ele serviu, já que me ajudou a passar as horas de espera. Fora isso o filme é um repeteco da primeira história, um grupo de amigos tentando enriquecer se mete em mil confusões. Dá pra dar umas risadinhas e só. 3 estrelas.

18- O senhor dos anéis: a sociedade do anel

Comentário: Nunca tinha assistido a este filme completo. Não sei se era birra por ser “time Harry Potter” ou por sei lá o que, falta de oportunidade, por não me interessar muito pela história... Enfim resolvi assistir a versão estendida e gostei bastante. O universo fantástico e complexo criado pelo Tolkien é muito bem representado e a história flui bem. 4 estrelas.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016


Lidos em Dezembro

Título: A identidade                                                                          
Autor: Milan Kundera
Editora: Companhia das letras/ Selo: Companhia de Bolsa
Páginas: 120
Estrelas: 4 

Comentário: No melhor estilo Kundera de ser os sentimentos, questões e aflições humanas se tornam os verdadeiros protagonistas do livro.

Título: Hibisco Roxo
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora:Companhia das Letras
Páginas: 328
Estrelas: 5
Comentário: História forte e tocante, apesar disso a leitura flui fácil. Melhor livro de 2015 e virou favorito da vida.

Título: Harry Potter e as relíquias da morte
Autor: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Páginas: 592
Estrelas: 5                                              
Comentário: Acompanho as aventuras do pequeno bruxo desde meus 11 anos, como aconteceu com muitas outras pessoas, Harry Potter me forjou leitora. Apesar de ser encantada por sua saga e esperar ansiosamente o lançamento de seus livros ano após ano, assistir todos os filmes e colecionar alguns artigos, só fui ler o desfecho dessa história no finzinho de 2015, quase 14 anos depois de tê-la iniciado. Por algum tempo, associei meu desinteresse pelo sétimo livro ao meu crescimento, imaginando que depois de perder totalmente as esperanças de que uma carta de Hogwarts chegasse até mim se findava também meu encantamento pela estória... Em meados de 2015 porém, quando me vi imersa de atribulações com o fim de meu curso universitário e me preparando para prestar os exames do mestrado resolvi reler a primeira narrativa do jovem bruxo e devo confessar que foi tão arrebatador quanto a primeira vez. Não conseguia largar o livro e o devorei em pouquíssimos dias, me fiz criança/adolescente outra vez e embarquei de volta ao mundo bruxo criado por J. K. Rowling. Quando finalmente em dezembro de 2015 li "Harry Potter e as relíquias da morte" me dei conta que meu aparente "desinteresse" pelo livro não passava de uma recusa subconsciente em aceitar que a magia acabasse. Ah, meu livro preferido continua sendo o quarto "Harry Potter e o cálice de fogo", mas o fim dessa história não merece nada menos que 5 estrelas.


Paginômetro do mês: 1.040 páginas lidas. 

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Entre aspas

"Winter não podia disfarçar sua malquerença pelos ingleses, que na sua opinião outra coisa não eram senão piratas que tudo faziam por parecerem gentlemen. Depois de encorajarem por muitos anos o tráfico de escravos, agora haviam decidido proibi-lo, mandando sua esquadra policiar os mares à caça de navios negreiros. Depois de velha a prostituta esforçava-se por parecer dama respeitável - refletiu Winter, tomando um gole de vinho".

Érico Verissimo in "O Continente" vol. 1